Sábado, abril 02 2011 22: 43

Efeitos na saúde e padrões de doenças

Classifique este artigo
(Voto 1)

Os problemas de saúde e segurança nas indústrias florestal e madeireira são abordados em outra parte deste Enciclopédia. Este artigo tratará da madeira que chega da serraria e é utilizada na carpintaria e na confecção de móveis e outros artigos. Essas atividades são predominantemente realizadas em pequenas empresas. Muitos trabalhadores nessas indústrias são contratados individualmente e, portanto, não estão listados como funcionários, e um grande número de indivíduos está exposto em projetos do tipo faça-você-mesmo e oficinas caseiras. Isso significa que muitos dos trabalhadores envolvidos são treinados de forma inadequada e são mal supervisionados ou não são supervisionados, enquanto muitas vezes faltam salvaguardas e equipamentos de proteção adequados.

Ahman e colegas (1995a, 1995b, 1996) chamam a atenção para a exposição de professores de artes industriais e carpintaria na Suécia. Em contraste com os controles não expostos, esses professores tiveram efeitos nasais notáveis ​​(mas principalmente reversíveis) e queixas que aumentaram com o número de aulas desde o início da semana e diminuíram nos fins de semana, embora as concentrações de poeira estivessem abaixo do limite sueco de 2 mg/m3. Em vários estabelecimentos na Holanda, os níveis de poeira excederam regularmente esse limite e, durante as operações de lixamento em uma fábrica de móveis, quase todas as exposições ultrapassaram o limite local de 5 mg/m3 (Scheeper, Kromhout e Boleij 1995).

Lesões Acidentais

O problema de saúde mais comum nas indústrias madeireiras e madeireiras são as lesões acidentais. São mais frequentes entre os trabalhadores mais jovens e inexperientes e, na maioria das vezes, são relativamente menores. Ocasionalmente, no entanto, podem envolver deficiência de longo prazo ou perda de uma extremidade. Eles incluem: lascas, que podem infeccionar, e lacerações, sulcos e amputações resultantes de maquinário de carpintaria usado ou protegido inadequadamente (Ma, Wang e Chou 1991); entorses e distensões por levantamento imprudente ou trabalho em uma posição inadequada (Nestor, Bobick e Pizatella 1990); lesões por movimentos repetitivos envolvendo a mão ou o ombro; e lesões oculares. Muitos, se não a maioria, podem ser evitados com treinamento adequado, aplicação criteriosa de proteções e restrições de máquinas e uso de equipamentos de proteção individual, como luvas e óculos de segurança. Quando eles ocorrem, a remoção imediata de estilhaços e a prevenção de infecções por limpeza rápida e tratamento de primeiros socorros de feridas minimizarão a incapacidade.

Poeira de madeira

A exposição ao pó de madeira ocorre sempre que a madeira é serrada, lascada, aplainada, roteada ou lixada. Os efeitos variam com a intensidade e duração da exposição e o tamanho das partículas. As partículas nos olhos podem causar irritação e o acúmulo de pó de madeira nas dobras da pele pode ser agravado pela transpiração e produtos químicos e levar a irritação e infecção. Esses efeitos podem ser reduzidos pela remoção do pó a vácuo, máscaras e roupas de proteção e boas práticas de higiene pessoal.

Vias nasofaríngeas e respiratórias

O pó de madeira nas passagens nasais pode diminuir a limpeza mucociliar e prejudicar a sensibilidade olfativa (Andersen, Solgaard e Andersen 1976; Ahman et al. 1996). Estes podem levar a irritação, espirros frequentes, hemorragias nasais e infecção dos seios da face (Imbus 1994).

As exposições em uma fábrica de móveis (Whitehead, Ashikaga e Vacek 1981) e em trabalhadores de serrarias (Hessel et al. 1995) demonstraram ser acompanhadas por reduções no volume expiratório forçado de 1 segundo (FEV1) e capacidade vital forçada (CVF), ajustada para idade, estatura e tabagismo. Estes foram acompanhados por aumentos significativos de falta de ar e chiado com aperto no peito e ocorrência de bronquite e asma. Não há, no entanto, nenhuma evidência convincente de outra doença pulmonar devido à exposição ao pó de madeira (Imbus 1994). Em um estudo prospectivo de acompanhamento de 6 anos de aproximadamente 350,000 homens nos Estados Unidos, os 11,541 indivíduos que relataram ter sido empregados em ocupações relacionadas à madeira tiveram um menor risco relativo de mortalidade devido a doenças respiratórias não malignas do que aqueles que o fizeram. não relatar a exposição ao pó de madeira (Demers et al. 1996).

Alergia e asma

Algumas madeiras, principalmente teca, mansonia e pinho radiata, contêm produtos químicos que são irritantes (consulte a tabela 1 para obter uma lista extensa de espécies de madeira, suas origens geográficas e seus efeitos na saúde). Algumas espécies podem causar dermatite de contato alérgica (por exemplo, abeto de Douglas, cedro vermelho ocidental, álamo, jacarandá, teca, mogno africano e outras madeiras “exóticas”). Cedro vermelho ocidental, jacarandá, mogno e outras madeiras exóticas demonstraram causar asma (Imbus 1994).

Câncer

Uma incidência incomumente alta de câncer nasal foi descrita entre marceneiros na Austrália, Canadá, Dinamarca, Finlândia, França, Itália, Holanda, Reino Unido e Estados Unidos (Imbus 1994). Uma recente reanálise agrupada de 12 estudos de coorte caso-controle conduzidos em sete países confirmou um alto risco de câncer nasofaríngeo entre marceneiros (Demers et al. 1995). A causa desses excessos de câncer nasal não é conhecida, mas, de acordo com relatórios recentes do Reino Unido e dos Estados Unidos, o risco de câncer nasal entre os trabalhadores de móveis diminuiu desde a Segunda Guerra Mundial, presumivelmente refletindo mudanças no processo de fabricação (Imbus 1994). Nenhum risco excessivo de câncer nasossinusal foi encontrado entre os 45,399 homens expostos ao pó de madeira incluídos entre os 362,823 homens inscritos no Estudo de Prevenção do Câncer de 6 anos da American Cancer Society, mas, observam os pesquisadores, o número de casos foi pequeno. Eles, no entanto, encontraram um aumento especialmente alto na mortalidade por câncer de pulmão entre os marceneiros que também relataram exposição ao amianto ou formaldeído, e sugeriram que a exposição a esses carcinógenos conhecidos era responsável pelo aumento do risco observado (Stellman et al., no prelo).

Exposições químicas

A madeira pode conter contaminantes biológicos. Bolores e fungos, que geralmente crescem na casca das árvores, podem causar reações alérgicas. A inalação de esporos fúngicos encontrados em árvores de bordo, sequóias e sobreiros tem demonstrado causar doença da casca do bordo, sequoiose e suberose (Imbus 1994).

A madeira geralmente contém produtos químicos exógenos aplicados durante o processamento. Estes incluem adesivos, solventes, aglutinantes de resina, inseticidas e fungicidas, impermeabilizantes, tintas e pigmentos, lacas e vernizes. Muitos deles são voláteis e podem ser emitidos quando a madeira é tratada, aquecida ou incinerada; eles também são transportados como elementos em pó de madeira. Os mais importantes incluem: tolueno, metanol, xileno, metiletilcetona, n-álcool butílico, 1-tricloroetano e diclorometano (EPA 1,1).

Conclusão

Os riscos à saúde das indústrias madeireiras e carpintarias podem ser controlados pela instalação de controles de engenharia (por exemplo, colocação e proteção adequadas de máquinas elétricas, sistemas de ventilação para controlar o pó de madeira e emissões químicas) e equipamentos de proteção individual (por exemplo, luvas, óculos de segurança, respiradores ), juntamente com inspeções periódicas para garantir que eles sejam mantidos e usados ​​adequadamente. Talvez o mais importante seja a educação e o treinamento adequados dos trabalhadores e de seus supervisores.

Tabela 1. Variedades de madeira venenosas, alergênicas e biologicamente ativas

Nomes científicos Nomes comerciais selecionados Um plano de comunicação para a sua família Comprometimento da saúde
Abies alba Moinho (A. pectinata DC) abeto de prata Pinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Acácia spp.
A. harpophylla
F. Muell.
A. melanoxilon
R. br.
a. seyal
Del.
A. Shirley
Solteira
pau-preto australiano Mimosáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Acer spp.
A. platanoides
L.
Bordo aceraceae Dermatite
Afrormosia elata Prejudica.
(Pericopsis elata
Van Meeuwen)
Afrormosia, kokrodua, asamala, obang, óleo pardo, bohele, mohole Borboletas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
afzélia africana ferreiro
A.bijuga
A.Chev. (Intsia bijuga See More A. Cunn.
A. palembanica
Bak. (Intsia palembanica Bak.)
Doussié, afzelia, aligua, apa, chanfuta, lingue merbau, intsia, insinuante Cesalpinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Agonandra brasiliensis Casar Pão, marfim, granadillo Olacáceas Dermatite
Ailanthus altissima Moinho sumagre chinês Simaroubáceas Dermatite
Albizzia falcata Arrimo 
A. ferrugínea Bento.
A. lebbek Bento 
A. Toona FM Fiança
Iatandza
Kokko, Siri
Mimosáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; 
efeitos tóxicos
Alnus spp.
A. glutinosa
Gaertn.
amieiro comum
Amieiro preto
Betulaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Amyris (Sândalo Amyris) spp.
A. balsamifera
L.
A. toxicífera
Will.
Sândalo venezuelano ou das Índias Ocidentais rutaceae Dermatite; efeitos tóxicos
Anacardium occidentale L.
A. excelsum
Esqueletos.
caju Anacardiáceas Dermatite
Andira Araroba Aguiar. (Vataireopsis araroba Ducke)
A. coriacea
Polia
A. inermis
HBK 
Árvore de repolho roxo Madeira de perdiz Borboletas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
aningeria spp.
A. robusto
Abr. e Pell.
A. altissima
Abr. e Pell.
Antiaris africana
Inglês.
A. welwitschi
Inglês.
Aningeria Antiaris, ako, chen chen Sapotáceas Moráceas Conjuntivite-rinite; asma Efeitos tóxicos
Abeto Apuleia molaris (A. leiocarpa MacBride)
(A. ferrea
Mercado.)
Pau-brasil Cesalpinaceae Dermatite; efeitos tóxicos
Araucaria angustifolia O. Ktze
A.brasiliana
Um rico.
pinheiro do Paraná, araucária araucária Efeitos tóxicos
Aspidosperma spp.
A. peroba
Pe. Todo.
A. vargasii
A. DC.
Peroba vermelha Pau marfim, pau amarello, pequia marfim, guatambu, amarilla, pequia Apocináceas Dermatite; conjuntivite-
rinite; asma; efeitos tóxicos
astrocário spp. palma Palmáceas Dermatite; efeitos tóxicos
Aucoumea klaineana Pierre  Gabão mogno Burseráceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; alveolite extrínseca alérgica
Autranella congolensis
A. Chev. (Mimusops congolensis
O selvagem.)
Mukulungu, autracon, elang, bouanga, kulungu sapotáceas Dermatite
Bactris spp. (Astrocarium spp.) palma Palmáceas Dermatite; efeitos tóxicos
Balfourodendron riedelianum Inglês. Guatambu, guatambu branco rutaceae Dermatite
batesia floribunda Bento. Acapu rana Cesalpinaceae Efeitos tóxicos
Berberis vulgaris L. Bérberis Berberidaceae Efeitos tóxicos
Betula spp.
B.alba
L. (B. pêndula Roth.)
Bétula Betulaceae Dermatite
Blefarocarva involucrigera F. Muell.  Rosa-butternut Anacardiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Bombax brevicuspe Sprague
B. chevalieri
Pell
Kondroti, sozinho Bombacáceas Dermatite
Bowdichia spp.
B. nitida
Bento.
B. guianensis
pato (Diplotropis guianensis Bento.) 
(Diplotropis purpurea
Amsh.)
sucupira preta Borboletas Dermatite
Brachylaena hutchinsii coelheira. Muhuhu compósitos Dermatite
breônia spp. Molompangady Rubiáceas Dermatite
Brosimum spp.
B. guianense
Hub. (Piratinera guianensis Aubl.)
Madeira de cobra, madeira de letras, madeira de tigre moraceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Brya Ebenus DC. (Amerimnum ebenus Sw.)
Brya buxifolia
urb.
Ébano marrom, ébano verde, ébano jamaicano, ébano americano tropical Borboletas Dermatite
Buxus sempervirens L.
B.macowani
Oliv.
Buxo europeu, East London b., Cabo b. Buxáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Caesalpinia echinata Fuga. (Guilandina echinata primavera.) pau-brasil Cesalpinaceae Dermatite; efeitos tóxicos
Callitris columellaris F. Muell. Pinheiro cipreste branco Cupressaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Calophyllum spp.
C.brasiliense
mudança.
Santa Maria, Jacareúba, Kurahura, Galba Gutíferas Dermatite; efeitos tóxicos
Campsiandra laurifolia Bento. Acapu rana Cesalpinaceae Efeitos tóxicos
Carpinus betulus choupo-branco Betulaceae Dermatite
Cássia siamea Lamk. Tagayasan, muong dez, djohar Cesalpinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Castanea dentata Borkh
C. sativa
Moinho.
C. pumila
Moinho.
Castanha, castanha doce Phagaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Castanospermum australe A. Cunn. Feijão preto, castanha australiana ou Moreton Bay Borboletas Dermatite
Cedrela spp. (Toona spp.) cedro vermelho, cedro australiano Meliaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Cedrus deodara (Roxb. ex. Lamb.) G. Don
(C.libani
Barril. lc)
Deodar Pinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
celta brieyi O selvagem.
C. cinnamomea
LDL.
diania
gurenda
ulmaceae Dermatite
Clorófora excelsa Benth. e Gancho I.
C. régia
A.Chev.
C. tintoria
(L.) Pique.
Iroko, gelbholz, yellowood, kambala, mvule, odum, moule, teca africana, abang, tatajuba, fustic, mora moraceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; alveolite extrínseca alérgica
cloroxilona spp.
C. swietenia
A.DC.
Ceilão Cetimwood rutaceae Dermatite; efeitos tóxicos
Crisofilo spp. Nájara sapotáceas Dermatite
Canela cânfora Nees e Ebeim Cânfora asiática, canela Lauraceae. Efeitos tóxicos
Pleurosperma de Cryptocarya Branca e Francisco noz venenosa Lauraceae. Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Dacrycarpus dacryoides (A. Rico.) de Laub. Pinheiro branco da Nova Zelândia podocarpaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Dacrydium cupressinum Soland Sempilor, rimu podocarpaceae conjuntivite-rinite; asma
Dactylocladus stenostachys Oliv. Jong Kong, Merebong, Medang Tabak melastomaceae Efeitos tóxicos
dalbergia spp.
D. amerimnon
Bento.
D. granadilho
Pitt.
D. hipoleuca
standl.
D. latifolia
Roxb.
D. melanoxilon
Guilla. e Perr.
D. negra
Pe. Todo.
D. oliveri
Jogar
D. retusa
Hemsl.
D.sissoo
Roxb.
D. stevensonii
standl.
Ébano Red foxwood Jacarandá da Índia, Bombay blackwood, African blackwood, palisander, riopalissandro, Brasilian rosewood, jacarandá Burma rosewood
raposa vermelha
Madeira Nagaed, Jacarandá de Honduras
Borboletas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma;
efeitos tóxicos
dialium spp.
D. Dinklangeri
Prejudica.
Eyoum, eyum Cesalpinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Diospyros spp.
D. célebica
bakh.
D. crassiflora
Hiern
D. ébeno
Koenig
Ébano, ébano africano Ébano Macassar, ébano africano, ébano do Ceilão Ebenáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Dipterocarpo spp.
D. alatus
Roxb.
Keruing, gurjum, yang, keruing Dipterocarpáceas Dermatite
Distemonanthus benthamianus fiança. Movingui, ayan, anyaran, cetim nigeriano Cesalpinaceae Dermatite
Disoxilo spp.
D.fraseranum
Bento.
Mogno, madeira de aduelas, feijão vermelho Meliaceae dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
D. muelleri Bento. mogno rosa    
Echirospermum balthazarii Pe. Todo. (Plathymenia reticulataBento.) Vinhatico Mimosáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Entandofragma spp.
E. angolense
CDC
E. candolei
Prejudica.
E. cilíndrico
Sprague
E.útil
Sprague
tiama
Kosipo, omo
Sapelli, sapele, aboudikro
Sipo, utile, assí,
kalungo, mufumbi
Meliaceae Dermatite;
alveolite extrínseca alérgica
Erythrophloeum guineense G. Don
E.ivorense
A. Chev.
Tali, missanda, eloun, massanda, sasswood, erun, redwater tree Cesalpinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Esenbeckia leiocarpa Inglês. Guaranta rutaceae Dermatite
Eucalipto spp.
E. delegada
RT Voltar
E. hemifloia
F. Muell.
E. leucoxilon
Solteira
E. maculata
Gancho.
E. marginata
Donn ex-Sm.
E. microteca
F. Muell.
E. oblíqua
L. Herit.
E. regnans
F. Muell.
E. saligna
Sm.

freixo alpino
Caixa cinza
Goma amarela
Goma manchada Mountain ash
myrtaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Euxylophora paraensis Hub. Buxo rutaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Excoecaria africana M.Arg. (Spirostachys africana Areia)
E. agallocha
L.
Sândalo africano, tabootie, geor, aloewood, blind-your-eye Euforbiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Fagara spp.
F. flava
Krug e Urb. (Zanthoxylum flavum Vahl.)
F.heitzii
Abr. e Pell.
F. macrophylla
Inglês.
Lixadeiras amarelas, madeira cetim das Índias Ocidentais, madeira atlas, olon, bongo, mbanza rutaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Fagus spp. (Nothofagus spp.) 
F. silvestre
L.
Faia Phagaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Fitzroya cupresoides (Molina) Johnston
(
F. patagônica Gancho. f.)
Alerta Cupressaceae Dermatite
Flindersia australis R. br.
F. brayleyana
F. Muell.
F. pimenteliana
F. Muell.
Teca australiana, bordo de Queensland, bordo
Silkwood, bordo australiano
rutaceae Dermatite
Fraxinus spp.
F. Excelsior
L.
Cinza Oleaceae Dermatite
Gluta spp.
G. rhengas
L. (Melanorréia spp.)
M. curtisii
Pierre
M. laccifera wallichii
Gancho.
Rengas, glúteos
madeira de renga
Rhengas
Anacardiáceas Dermatite; efeitos tóxicos
gonioma kamassi E. Mey. Knysna buxo, kamassi Apocináceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Gonystylus bancanus fiança. Ramin, melawis, akenia Gonistiláceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; alveolite extrínseca alérgica
Gossweilerodendron balsamiferum (Verme.) Prejudica. cedro nigeriano Cesalpinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Robusta grevillea A. Cunn. carvalho sedoso Proteáceas Dermatite
Guaiacum oficial L. Gaiac, lignum vitae Zygophyllaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
guarea spp.
G. cedrata
Pell. G. Laurentii O selvagem.
G. thompsonii
Sprague
chefe
Pereira da Nigéria Cedro Mogno
guarea perfumada
guarea preta
Meliaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Halfordia scleroxyla F. Muell.
H. papuana
Lauterb.
coração de açafrão Poligonáceas Dermatite; alveolite extrínseca alérgica
hernandia spp.
H. sonora
L. (H. guianensis Aubl.)
Mirobolan, topolito Hernandiáceas Dermatite
Hipomane mancinella L. maçã de praia Euforbiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Illipe latifolia F. Muell.
I. longifólia
F. Muell. (Bassia latifolia Roxb.) (B. longifoliaRoxb.)
Moak, edel teca sapotáceas Dermatite
Jacaranda spp.
J.brasiliana
Pessoal. Sin. (Bignonia brasiliana Fuga.)
J. coerulea
(EU.) cinza.
Jacarandá Caroba, buxo bignoniaceae Dermatite
juglans spp.
j. nigra
L.
J. régia
L.
Nogueira juglandaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Junípero sabina L.
J. fenícia
L.
j. virginiana
L.
Cedro Lápis da Virgínia, Cedro Vermelho Oriental Cupressaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Khaya antoteca CDC. K. ivorensis A. Chev.
K. senegalensis
A. Juss.
Ogwango, mogno africano, krala Dry-zone mogno Meliaceae Dermatite; alveolite extrínseca alérgica
Laburno anagiroides Médico. (Cytisus laburnum L.)
L. vulgare
cinza
Laburno Borboletas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Larix spp.
L. decídua
Moinho.
L. europa
D.C.
lariço
larício europeu
Pinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Estiracifolia Liquidambar L. Amberbaum, cetim-nussbaum hamamelidaceae Dermatite
Tulipifera Liriodendron L. madeira branca americana, árvore de tulipa magnoliáceas Dermatite
Lovoa trichilioides Prejudica. (L. klaineana Pierre) Dibetou, nogueira africana, apopo, tigerwood, lateral Meliaceae dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
lúcuma spp. (Pouteria spp.)
L. procera
Guapeva, abiurana
massaranduba
sapotáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Maba ebenus Criatura. Macassar-ebenholz Ebenáceas Dermatite
Macherium pedicellatum Vog.
M. escleroxilon
Tule.
M. violaceum
Vog.
Kingswood Borboletas Dermatite
Mansonia altissima A.Chev. noz nigeriana Sterculiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Melanoxylon brauna Anteparo Brauna, grauna Cesalpinaceae Dermatite
Microberlinia brazzavillensis A.Chev.
M. bisulcata
A.Chev.
africano zebrawood Cesalpinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Millettia Laurentii O selvagem.
M. stuhlmannii
Taub.
Wenge
Panga-panga
Borboletas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma;
efeitos tóxicos
Mimusops spp. (Manilkara spp.)
Mimusops
spp. (Dumória spp.) (Tieghemella spp.)
M. congolensis
O selvagem. (Autranella congolensis A.Chev.)
M. djave
Inglês. (Baillonella toxisperma Pierre)
M. heckelii
Gaiola. e Dalz. (Tieghemella heckelii Pierre)  
(Dumoria heckelii
A.Chev.)
muirapiranga
Makoré
Mukulungu, autracon Moabi
Mogno cereja
sapotáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma;
alérgico
alveolite extrínseca; efeitos tóxicos
Mitragyna ciliata Abr. e Pell.
M. estipulosa
O.Ktze
Vuku, choupo africano
Abura
Rubiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma;
efeitos tóxicos
Nauclea diderrichii Merrill (Sarcocephalus diderrichii O selvagem.)
Nauclea trillesi
Merrill
Bilinga, opepe, kussia, badi, buxo da África Ocidental Rubiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Nesogordonia papaverifera R. Capurão Kotibé, danta, epro, otutu, ovové, aborbora Tiliáceas Efeitos tóxicos
ocotea spp.
O.bulata
E. Mey
O. porosa
L.Barr. (Phoebe porosa Mez.)
O. rodiaei
Mez. (Nectandra rodiaei Schomb.)
O. rubra
Mez.
O. usambarensis
Inglês.
Stinkwood Laurel Nogueira do Brasil
Coração verde
louro vermelho
Cânfora da África Oriental
Lauraceae. Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Paratecoma spp.
P.alba
P. peroba
Kuhlm.

peroba branca brasileira
Peroba branca. pág.
bignoniaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Parinário spp.
P. guianense (Parinari
spp.) (Brosimo spp.)
P. variegatum

Guiana-satinholz
Antillen-satinholz
Rosaceae Dermatite
Peltogine spp.
P. densiflora
Spruce
Madeira azul, coração roxo Cesalpinaceae Efeitos tóxicos
Phyllanthus ferdinandi FvM. Lignum vitae, caminho de comida, guerra de reboque Euforbiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Picea spp.
P. abies
Carste.
P. excelsa
Ligação.
p. mariana
BSP.
P.polita
Carr.
Abeto europeu, madeira branca
abeto preto
Pinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; alveolite extrínseca alérgica
pinho spp.
P. radiata
D. Don
Pinho Pinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Piptadenia africana gancho f.
Piptadeniastrum africanum
brenan
Dabema, dahoma, ekhimi
agobin, mpewere, bukundu
Mimosáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Platanus spp. Avião platanaceae Dermatite
pomécia spp.
P. pinnata
Forst.
Tain
Kasai
sapindaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Populus spp. Álamo Salgueiro Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Prosopis juliflora D.C. cajueiro Mimosáceas Dermatite
Prunus spp.
P. serotina
Erl.
cereja
Cereja preta
Rosaceae dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Pseudomorus brunoniana escritório Cabo branco moraceae Dermatite; efeitos tóxicos
Pseudotsuga douglasii Carr. (P. menziesii Franco) Abeto de Douglas, abeto vermelho, abeto de Douglas Pinaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Pterocarpo spp.
P. angolensis
D.C.
P. indicus
Will.
P. santalinus
Lf (Vatairea guianensis Aubl.)
Padauk africano, pau-rosa da Nova Guiné, sândalo vermelho, lixas vermelhas, madeira quassia Borboletas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Pycnanthus angolensis Warb. (P. kombo See More Warb.) Ilomba Miristicáceas Efeitos tóxicos
Quercus spp. Carvalho Phagaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Raputia alba Inglês.
R. magnifica
Inglês.
Arapoca branca, arapoca rutaceae Dermatite
Rauwolfia pentaphylla Stapf. Ó. Peroba Apocináceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Sandórico spp.
S. indicum
Cav.
Sentul, katon, kra-ton, ketjapi, thitto Meliaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Schinopsis lorentzii Inglês.
S. balansae
Inglês.
Quebracho colorado, vermelho q., San Juan, pau mulato Anacardiáceas Dermatite; efeitos tóxicos
Semercarpus australiensis Inglês.
S. anacárdio
L.
Porca de marcação Anacardiáceas Dermatite; efeitos tóxicos
Sequoia sempervirens Fim. Sequoia, Califórnia
pau-brasil
taxodiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Costa spp. Alan, amêndoa, balau vermelho
Branco pesado, vermelho lauan, branco L., amarelo L., mayapis, meranti bakau, vermelho escuro M., vermelho claro M., vermelho M., branco M., amarelo M., vermelho seraya, branco seraya
Dipterocarpáceas Dermatite
S. assamica Tintureiro Lauan amarelo, meranti branco    
Staudtia estipitata Warb. (S. gabonensis Warb.) Niové Miristicáceas Dermatite
Suíça spp.
S. macrophylla
Rei
S. mogno
Jacques.
Mogno, mogno de Honduras, Tabasco m., baywood, mogno americano,
mogno cubano
Meliaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; alveolite extrínseca alérgica; efeitos tóxicos
Swintonia spicifera Gancho.
S. floribunda
manusear.
Merpauh Anacardiáceas Dermatite
tabebuia spp.
T.ipe
standl. (T. avellanedae Lor. ex Gris.)
T. guayacan Hensl. (T. lapacho See More
K. Schum)
Araguan, ipê preto, lapacho bignoniaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Taxus baccata L. Teixo taxaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; alveolite extrínseca alérgica; efeitos tóxicos
tecoma spp.
T. araliacea
D.C.
T. lapacho
Coração verde
Lapacho
bignoniaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
tectona grandis L. Teca, djati, kyun, teck Verbenaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; alveolite extrínseca alérgica
Terminalia alata Roth.
T. soberba
Engl. e Diels.
louro indiano
limba, afara, ofram, fraké, korina, akom
Combretáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Thuja occidentalis L.
T. plicata
D. Don
T. standishii
Carr.
Cedro branco
cedro vermelho ocidental
Cupressaceae Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Tieghemella africana A.Chev. (Dumória spp.)
T. heckelii
Pierre
Makoré, douka, okola, ukola, makoré, abacu, baku, cereja africana sapotáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma; efeitos tóxicos
Escleroxilon triplochiton K.Schum Obeche, samba, wawa, abachi, madeira branca africana, arere Sterculiáceas Dermatite; conjuntivite-rinite; asma
Tsuga heterofila caixão. Tsuga, cicuta ocidental Pinaceae Dermatite
Turraeanthus africana Pell. Avodiré
lusamba
Meliaceae Dermatite; alveolite extrínseca alérgica
Olmo spp. olmo ulmaceae Dermatite
Vitex ciliata Pell.   Verbenaceae Dermatite
V. congolensis De Wild. e Th. Dur Difundu    
V. paquifila Bak. Evino    
Xylia dolabriformis Bento.   Mimosáceas Conjuntivite-rinite;
X. xilocarpa Taub. Pyinkado   asma
Zollernia paraensis Huber pau santo Cesalpinaceae Dermatite; efeitos tóxicos

Fonte: Istituto del Legno, Florença, Itália.

 

Voltar

Leia 6214 vezes Última modificação em Quinta-feira, 11 agosto 2011 23: 46

" ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: A OIT não se responsabiliza pelo conteúdo apresentado neste portal da Web em qualquer idioma que não seja o inglês, que é o idioma usado para a produção inicial e revisão por pares do conteúdo original. Algumas estatísticas não foram atualizadas desde a produção da 4ª edição da Enciclopédia (1998)."

Conteúdo

Referências de Carpintaria

Ahman, M, E Soderman, I Cynkier e B Kolmodin-Hedman. 1995a. Problemas respiratórios relacionados ao trabalho em professores de artes industriais. Int Arch Occup Environ Health 67:111–118.

Ahman, M, M Holmstrom e H Ingelman-Sundberg. 1995b. Marcadores inflamatórios em fluido de lavagem nasal de professores de artes industriais. Am J Ind Med 28:541–550.

Ahman, M, M Holmstrom, I Cynkier e E Soderman. 1996. Deficiência da função nasal relacionada ao trabalho em professores suecos de carpintaria. Occup Environ Med 53:112–117.

Andersen, HC, J Solgaard e I Andersen. 1976. Taxas de câncer nasal e transporte de muco nasal em marceneiros. Acta Otolaryngol 82:263–265.

Demers, PA, M Kogevinas, P Boffetta, A Leclerc, D Luce, M Guerin, G Battista, S Belli, U Bolm-Audorf, LA Brinton et al. 1995. Pó de madeira e câncer nasossinusal: Reanálise combinada de doze estudos de caso-controle. Am J Ind Med 28:151–166.

Demers, PA, SD Stellman, D Colin e P Boffetta. 1996. Mortalidade por doenças respiratórias não malignas entre trabalhadores madeireiros participantes do Estudo de Prevenção do Câncer da American Cancer Society-2 (CPS-II). Apresentado na 25ª reunião do Congresso Internacional de Saúde Ocupacional, Estocolmo, 15–20 de setembro.

Agência de Proteção Ambiental (EPA). 1995. EPA Office of Compliance Sector Notebook Projeto: Perfil da Indústria de Móveis e Acessórios de Madeira. Washington, DC: EPA.

Hessel, PA, FA Herbert, LS Melenka, K Yoshida, D Michaelchuk e M Nakaza. 1995. Saúde pulmonar em trabalhadores de serraria expostos a pinheiros e abetos. Baú 108:642–646.

Imbus, H. 1994. Wooddust. Em Physical and Biological Hazards in the Workplace, editado por PH Wald e GM Stave. Nova York: Van Nostrand Reinhold.

Ma, WS A, M-JJ Wang e FS Chou. 1991. Avaliando o problema de lesão mecânica na indústria de fabricação de móveis de madeira-bambu. Int J Ind Erg 7:347–355.

Nestor, DE, TG Bobick e TJ Pizatella. 1990. Avaliação ergonômica de uma instalação de fabricação de gabinetes. In Proceedings of the Human Factors Society, 34ª Reunião Anual. Santa Monica, CA: Human Factors Society.

Scheeper, B, H Kromhout e JS Boleij. 1995. Exposição ao pó de madeira durante processos de trabalho em madeira. Ann Occup Hyg 39:141–154.

Stellman, SD, PA Demers, D Colin e P Boffetta. Na imprensa. Mortalidade por câncer e exposição ao pó de madeira entre os participantes do CPS-II. Am J Ind Med.

Whitehead, LW, T Ashikaga e P Vacek. 1981. Estado da função pulmonar de trabalhadores expostos a pó de madeira ou pinho. Am Ind Hyg Assoc 42:1780–1786.